sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Sua escolha

Rio triste, dentes brancos.
Contra o peito esta alegria
pela escolha incompleta...
Meu passado é meu guia.

Água negra, margens verdes
Rio à noite desta Lua.
Minha amada está nua
na barranca bem contente.

Rio longe, cheiro forte
os teus olhos de desdém.
Mas na curva tem a morte.
Rio sempre e me convém.

Um comentário:

Gabriela disse...

Nada como um pouco de pressão para fazer aparecer um poema, não? =). Nesse caso dois.
Gostei, e nem sei o motivo direito. Gostei tanto que comentei aqui. Gostei porque foram as que mais senti.
Bom fim de semana.