domingo, 7 de outubro de 2007

Via em mim.

O Tempo eleva a Verdade dentre a
Disputa e a Inveja Nicolas Poussin, 1640-2




Estou sozinho
Sinto-me só meu.
Estou num ninho
de arame farpado
Sinto-me ateu.
Nada me consola...
Onde estão todos?
Sigo na marola
Desta fumaça em rolos.


Sou um péssimo poeta
ninguém me lê.
Sou uma péssima pessoa
ninguém me vê.


Mas lá no alto...
um olho, um ouvido, uma voz.
A experiência só minha
É D's que me chama.


Stop! Kaballah e Sufismo
Não estão em meu íntimo
Na verdade não aprendi
a perceber a Vida perto de mim.


Um comentário:

THIAGO BORGES disse...

caramba velho...

o meio do poema tá bem deprimente... o q acontece?

um abraço