terça-feira, 3 de julho de 2007

A Morte dos Inocentes


Vida na terra acaso ou milagre?
Vida, que bela, passando corrente
Vida magrela, na seca pungente.

Vida acontece sem que nem pra quê
Vida fenece sem água a morrer
Vida, que bela, na tela da TV

Versos de vida verdes em flor
Verdes nuvens, gases de horror
Horrores da vida gases, fulgor.

Um verso, uma veia, aberta
No coração do meu continente
Que guarda verdes ditadores
Que sufocam vidas inocentes.

Um comentário:

THIAGO BORGES disse...

Genial, cara!

Expressa a atualidade da América Latina