domingo, 17 de fevereiro de 2008

A Lei e o Erro


Errei por andar além do limite,
tropecei na linha entre o bem e o mal.
Levantei a cabeça e no fim do túnel - uma luz.
Era o trem que vinha na direção contrária.

Errei quando escolhi ficar vivo
na morte não há conhecimento
nem sensação, nem amor.

Errei quando toquei naquele fruto:
alta jaqueira intangível,
rasteiro morando tímido escondido,
laranja da discórdia do grego aturdido.

Mas para haver Erro é necessária Lei:
Previsão de crime e sua conseqüência,
uma visão futura desta delinqüência
onde sem limites somos escravos
do nosso própio desejo.

Um comentário:

Thiago Borges disse...

o que é erro, afinal?